nº 1656 – Homilia da Santíssima Trindade (11.06.17)

 “Caminha conosco!”

 Deus-comunhão

      Na festa da Santíssima Trindade somos chamados a aproximarmos do mistério de um Deus Uno e Trino, verdade fundamental da fé cristã. A liturgia reflete essa verdade e contempla o Deus que se revela na História da Salvação. Deus se revelou para estarmos em comunhão com Ele. Moisés reconhece a misericórdia de Deus, por isso pede perdão das culpas e insiste: “Caminha conosco” (Ex 34,9). Caminhar juntos, na palavra de Jesus, é morar em nós (Jo 14,22). Cria-se comunhão com Deus e comunhão-comunidade com os irmãos. Pela comunhão na comunidade manifestamos a comunhão com a Trindade. Este é o modo normal de ser dos que vivem o amor. A experiência de Deus não tem palavras para explicar. Estar juntos é sinal da comunhão. Cabe ao Espírito realizar a união espiritual de introduzir-nos na comunhão da Trindade Santa. Os reflexos desta união se dão em nossa vida quando buscamos viver no amor. Deus usou de misericórdia para conosco, vindo ao nosso encontro e estabelecendo conosco uma vida de união com seu Ser. Aprendemos que o Mistério da Santíssima Trindade é impenetrável, incompreensível e tantas outras palavras que parecem fechar a possibilidade dos humanos de se achegarem de Deus. Jesus diz claro: “Quem me vê, vê o Pai” (Jo 14,9). Deus se revelou em Jesus. A Palavra de Deus entende o Deus Uno e Trino como Unidade, o Deus que se aproxima de nós e Se abre à comunhão. Deus é sempre amor e misericórdia. Em Jesus Se manifesta como amor que se inclina para acolher e se adianta para buscar o necessitado. Ele se põe como o responsável por aquele que não tem socorro. Ele é o parente próximo responsável.

Veio para Salvar

A salvação de Jesus não é só perdoar o pecado da humanidade, mas abrir-nos à comunhão com Deus. “A graça de Nosso Senhor Jesus Cristo, o amor do Pai e a comunhão do Espírito Santo, estejam convosco!” (2Cor 13,14). Sabemos que, quando amamos e servimos as pessoas, participamos do dinamismo do amor de Deus. Se servirmos como Jesus, viveremos sua vida com o Pai e o Espírito. Jesus diz que o Pai vem morar em nós, se permanecermos unidos como o ramo ao tronco (Jo 15,5). Quando amamos, o Pai nos ama e vem morar em nós. Às vezes, na vida espiritual, achamos que tudo depende de nós. A maior parte depende de Deus que quer nossa colaboração. Não está dispensada nossa parte que é colaborar com Deus para nosso próprio bem. Não se trata tanto de uma busca, mas de um acolhimento. Deus já fez tudo o que podia por nós, dando-nos a Si mesmo em Jesus. Isso é salvação. A fé em Jesus nos conduz a viver de um modo novo na comunhão com os outros, usando nossos dons para servir.

Comunhão no Espírito Santo.

A comunidade existe para anunciar e atrair à comunhão com a Trindade Santa. Fé cristã não é fazer algumas rezas ou ter um nome de católico ou outro. É viver em comunhão com Aquele que tanto nos amou e enviou seu Filho para o perdão e o Espírito para a santificação na união. A ação do Espírito realiza esta ligação entre nós como as células no corpo. Assim a vida de Deus passa a todos pelo Espírito Santo. O Espírito Santo não é um mercadinho de dons, mas é o Dom. Fomos crismados pelas palavras: “Recebe, por este sinal, o Espírito Santo, o Dom de Deus. Os dons são serviços que um presta ao outro para que a comunhão com a Trindade seja concreta. O Espírito que distribui os dons para o serviço do corpo, como nos ensina Paulo: “Tudo isso é o único Espírito que o realiza, distribuindo a cada um os seus dons conforme lhe apraz” (2Cor 12,11).

Leituras: Êxodo 34,4b-6. 8-9;Daniel 3; 2Coríntios 13,11-13; João 3,16-18

Ficha  nº1656 – Homilia da Santíssima Trindade (11.06.17)

  1. Pela comunhão na comunidade manifestamos a comunhão com a Trindade.
  1. A salvação de Jesus não é só perdoar o pecado da humanidade, mas abrir-nos à comunhão com Deus.
  1. Os dons são serviços que um presta ao outro para que a comunhão com a Trindade seja concreta. 

Não falta serviço

              Jesus disse: “Meu Pai trabalha sempre e Eu também trabalho” (Jo 5,17). A Santíssima Trindade está sempre em atividade de Vida Divina. A comunhão entre si coloca as três Pessoas Santíssimas em contínuo movimento de amor, doação e acolhimento. A serena violência do amor leva Jesus a dizer que somente os violentos o tomam de assalto. O Reino dos Céus sofre violência dos que querem entrar, e os violentos se apoderam dele (Mt 11,12). Essa violência é sair de si para entrar na força de vida do Pai, do Filho e do Espírito. É esse seu trabalho.

              Celebrando a Santíssima Trindade, não estamos diante de um mistério insondável, mas diante de um mistério que nos convida a participar.

              Moisés convida Deus a estar com o povo: “Caminha conosco”! (Ex 34,9). Deus caminha entre nós na força da comunhão: “A graça do Senhor Jesus Cristo, o amor de Deus e a comunhão do Espírito Santo estejam convosco” (2Cor 13,13). A cada pessoa da Trindade é atribuída uma missão.

              Quem crê nesse amor doado, tem a vida eterna (Jo 3,16). A salvação é um dom mais que esforço. Participemos da obra da Trindade para saborearmos a doce violência do amor.

 

 

Anúncios
Deixe um comentário

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: